sexta-feira, 14 de novembro de 2008


O valor de sua arte, ops! Do seu tricô
Com a valorização das artes manuais no mundo fashion, da noite para o dia, peças bem elaboradas, criativas e com detalhes diferentes, tecidas artesanalmente, ganharam espaço nos editoriais de moda, revistas e TV. 
Pensando nisso, achei interessante falar um pouquinho sobre o que o tricô pode representar no seu orçamento.

A maioria das tricoteiras-arteiras faz tricô por prazer, para presentear pessoas queridas ou para doar para os menos favorecidos, mas não dá pra esquecer que tricoteiras-arteiras também vendem seus trabalhos e têm, nessa venda, muitas vezes um incremento substancial no seu orçamento. De quando em quando, recebo mensagens de pessoas cheias de dúvidas sobre o valor justo a ser cobrado por um cachecol, roupinhas para bebê, acessórios de decoração e outros que tais.

Pois bem, “dar preço” a um trabalho não é lá muito fácil, pois quem compra geralmente não diferencia tricô de crochê nem de outras técnicas com agulhas ou similares (entendam-se como outras técnicas o tear de pregos, o crochê de grampo). E esse é o grande entrave para quem vende. Eu mesma já me vi diante da seguinte situação: “Caramba, a fulana acha que o cachecol está caro! Mesmo sendo só um 'paninho', comprei um fio de primeiríssima, o ponto utilizado me deu um baile, porque precisei me desdobrar em atenção para não errar, e, ainda por cima, fiquei debruçada sobre o danadinho durante três dias, mesmo tecendo como uma máquina”.

Antes de acreditar que se vai fazer fortuna com tricô, é melhor ter em mente alguns fatos:
• O trabalho manual de modo geral, aqui no Brasil, é visto como coisa de segunda, literalmente como “um paninho diferente” na maioria das vezes.
• Você como artesã não é conhecida, não tem uma etiqueta de grife famosa nem vende na loja fashion.
• A concorrência com os preços de peças importadas, contrabandeadas, “pseudo” tecidas à mão é desleal.
Diante dos fatos realistas do que lhe espera, será que vale a pena tentar vender o que produz com tanto esmero?
E a resposta é SIM! 
“Tá” curiosa pra saber qual o caminho das pedras? Muita calma menina, Roma não foi feita num dia e essa é a hora pra você pensar um pouco antes de se atracar com as agulhas e fios e começar a tecer impetuosamente...

( conteúdo do site da ARP - fios e bordados)

sábado, 1 de novembro de 2008

LINDOS PONTOS RENDADOS

Acesse:
http://picasaweb.google.com/Beth.curitiba/NewAlbum3010081938?pli=1#